Para atender exigência de licenciamento ambiental do IBAMA, Petrobras celebra convênio com o ITP buscando descobrir novas habilidades para a geração de emprego

Publicado em 12/07/2018
Ao final da capacitação, alunos receberam certificado, máquinas e cadeiras utilizadas durante as aulas
Ao final da capacitação, alunos receberam certificado, máquinas e cadeiras utilizadas durante as aulas

Para atender aos projetos de compensação exigidos pelo Licenciamento Ambiental Federal, conduzidos pelo Ibama e que estão inseridos no Programa de Educação Ambiental de Comunidades Costeiras (PEAC), a Petrobras e o ITP firmaram convênio com o objetivo de capacitar 30 pessoas no curso de “Corte/Costura, Bordado/Crochê e Pintura em Tecido”, ofertado no Povoado Mosqueiro, zona de expansão de Aracaju. Ao final do curso, os participantes estavam aptos para descobrir novas vocações autossustentáveis e, desta forma, gerarem emprego e renda. 

Os produtos desenvolvidos ao final do curso foram voltados para o segmento moda praia e turismo, umas das características fortes da região do Mosqueiro. Cada participante recebeu, através de termo de doação do Convênio, a máquina de costura e a cadeira utilizadas durante as aulas. Iniciada em março deste ano, a capacitação foi dividida em módulos, para que, ao final do período, todos os alunos estivessem aptos nas modalidades ofertadas e pudessem produzir todo o material que foi apresentado no desfile realizado após a solenidade de entrega dos certificados e dos equipamentos, ocorrida no final do mês de junho.

A coleção moda praia para o verão 2018/2019, intitulada de Pôr do Sol, foi produzida durante os meses de maio e junho, tendo como inspiração os elementos da região, como o mar, os peixes e os coqueiros. Shorts, saídas de praia, vestidos, bolsas e outros tipos de vestimentas que podem ser usadas, inclusive, durante um passeio descontraído estão distribuídas em oito linhas: Solar, Sol & Mar, Marina, Frescor, Gradil, Natural, Veraneio, e Veraneio e Mar.

O evento foi prestigiado por membros do ITP, dentre eles o presidente do Instituto, o Dr. Diego Menezes, o fiscal do convênio do PEAC na Petrobras UO-SEAL, Camilo Lelis, e o diretor-presidente do IDSS, Mario Batestti. “Não oferecemos uma capacitação completa nessas áreas. A ideia foi despertar o gosto e dar a base, mas uma boa base, tanto que com os ensinamentos que receberam conseguiram desenvolver peças em tecidos planos, com costuras retas e, agora, têm a capacidade de produzir os itens, como os cerca de 50 que fizeram para a coleção apresentada”, explicou Roberta Araújo Almeida, gestora de projetos em Aracaju e consultora de projetos do Instituto de Design Social e Sustentável (IDSS), empresa responsável pelo treinamento.

 VENCENDO LIMITES

Cerca de 50 peças foram produzidas e catalogadas para o desfile

Para o presidente do Instituto de Tecnologia e Pesquisa, o Dr. Diego Menezes, a capacitação oferecida é a possibilidade de mudança real da condição de vida dos participantes, pois aprenderam uma atividade atemporal e que é geradora de renda. “Através desta parceria com a Petrobras pudemos oferecer à comunidade do Mosqueiro uma nova perspectiva, porque não entregamos o peixe pronto, ensinamos a pescar para que as ações continuem. Estamos acostumados a trabalhar com ciência, tecnologia e inovação dentro dos laboratórios do Instituto, mas sempre voltados para os anseios da população. Com o PEAC ultrapassamos os muros do ITP e viemos unir, do lado de fora, tecnologia e inovação social, e estamos felizes em saber que é muito possível, e a prova foi a linda coleção apresentada durante o desfile”, declarou.

O resultado também surpreendeu o fiscal do PEAC da Petrobras UO-SEAL, Camilo Lelis, que prevê muito sucesso para os capacitados, porque têm, dentre outras características positivas, segundo ele, criatividade, como demonstraram nas peças confeccionadas. Para Lelis, a satisfação das pessoas em reconhecerem que o curso foi algo bom e que ajudará na melhoria do padrão de vida foi outro ponto que chamou a atenção dele. “O PEAC nos deixou muito próximos das comunidades, e isso para nós é uma ação grandiosa. Tenham a certeza de que está sendo e que será um sucesso”, declarou.

Para Mário Batestti, presidente da IDSS, empresa executora da capacitação, olhar as fotos de promoção das peças confeccionadas e fazer uma comparação com o primeiro dia de aula, quando cerca de 90% dos capacitados não possuíam qualquer noção sobre corte, costura, bordado, crochê e pintura em tecido, é a prova de que o projeto cumpriu com excelência a missão. “Finalizarmos o curso e vermos as pessoas sorrindo, o conhecimento que foi ensinado aplicado nas peças, nos dá a certeza de que cumprimos o nosso dever, e mais, que colaboramos para que os beneficiados se tornem melhores pessoas e excelentes profissionais”, enfatizou.

OS MOTIVOS DO CURSO

A escolha pela capacitação em corte e costura foi dos moradores da comunidade, com o intuito de valorizar a atividade artesanal, a identidade cultural, as habilidades dos participantes e as relações existentes nos grupos, desejo expresso aos representantes da Petrobras (UO-SEAL) através das reuniões com os membros da localidade. A comunidade demonstrou interesse por algo alternativo à pesca artesanal por ela ser uma atividade de risco, e por dar pouco retorno financeiro devido à escassez do pescado ou mariscos, dia após dia.

Camilo Lelis, Aline Leite, Rogelina Brito, Dr. Diego Menezes e Mário Batestti

“A coisa por aqui tem ficado muito difícil, por isso, quando soube do curso me inscrevi logo, até porque sempre tive o sonho de costurar, de aprender a cortar”, declarou Rogelina Brito de Souza, marisqueira de 56 anos de idade e uma das capacitadas pelo programa. O manejo do tecido e da máquina de costura é a possibilidade de renda extra para a família, que sobrevive com um salário mínimo recebido pelo companheiro de Rogelina, e com o pouco que ela consegue da venda do catado de mariscos.

Quem estava ansiosa para receber o certificado de conclusão da capacitação era a dona de casa Maria Aparecida Rodrigues Santos, 27 anos de idade. Casada e mãe de um filho, disse ter se identificado muito com o curso de pintura em tecido, e que, junto com outras colegas, já tem algumas peças de roupas encomendadas. “Como cada colega do curso se deu melhor em uma área, nos organizamos e decidimos trabalhar em equipe e juntas vamos atender os pedidos das clientes, que por sinal, já estão chegando. Ficarei com a pintura do que for feito”, contou toda sorridente.

Camilo Lelis e Maria Aparecida

O público-alvo das peças que serão confeccionadas por Maria Aparecida e pelas colegas de turma serão os turistas que visitam a Orla Pôr do Sol, cujo fluxo é evidenciado por causa da ponte Joel Silveira, trajeto muito utilizado por quem vai de Aracaju a Salvador ou o inverso. “Lá na Orla Pôr do Sol não tem artesanato para ser vendido, somente comida e bebida. O turista procura por coisa diferente e não encontra. Agora vai ter, porque estamos, inclusive, fazendo peças com o que eles querem ver, que é o sol, o coco, o peixe”, comentou a aluna.

Ariolina Santos e Dr. Diego Menezes

Para a marisqueira Ariolina Santos, 45 anos, casada e mãe de dois filhos, o curso patrocinado pela Petrobras e coordenado pelo ITP foi a oportunidade de voltar a estar socialmente inserida na comunidade onde mora desde o nascimento, pois desde os 21 anos de idade, quando teve o primeiro filho, viu-se obrigada “engavetar” muitos sonhos para poder cuidar do bebê, portador de paralisa cerebral. “Agora, que ele tem 24 anos, consegui dar uma fugidinha para vir para o curso e foi muito bom não só por aprender algo, mas por conviver com gente, por trabalhar com gente”, comentou.



Veja também

Pesquisadora do ITP lança livro durante Simpósio Internacional

Pesquisadora do ITP lança livro durante Simpósio Internacional

10/10/2016 - A Prof. Dra. Cristiane de Magalhães Porto, Pesquisadora do Instituto de Tecnologia e Pesquisa, lançou durante o mês de s...

Nota de falecimento

Nota de falecimento

05/06/2018 - É com pesar que o Instituto de Tecnologia e Pesquisa informa o falecimento da pesquisadora Ada Augusta Celestino Bezerra, Doutora em ...

ITP e IPÊ firmam termo de cooperação técnica, científica e cultural

ITP e IPÊ firmam termo de cooperação técnica, científica e cultural

16/10/2017 - O Instituto de Tecnologia e Pesquisa – ITP – e os Institutos Paraibanos de Educação – IPÊ –, emp...

Pesquisas desenvolvidas no ITP são vencedoras do Prêmio João Ribeiro de divulgação científica da FAPITEC

Pesquisas desenvolvidas no ITP são vencedoras do Prêmio João Ribeiro de divulgação científica da FAPITEC

24/10/2016 - Na noite da última quinta-feira, dia de 20 de outubro, o Instituto de Tecnologia e Pesquisa (ITP) foi novamente destaque durante a en...